pobre verso

Pobre Verso

Faço um versinho para o meu amor
Mas é tão pobre, mirrado e franzino
Que até dor com flor, confesso que rimo
Poeta cascudo e tosco que sou
Mas o amor é mesmo assim muito estranho
No coração, pequeno, é infinito
Mas na caneta outros versos imito
Que seja, se um sorriso ao menos ganho
Por mais que me desdobre, fica a linha
Como antes: parca, incortês e pobre.
Persisto, tal insensatez é a minha.
Que me cobre a Poesia, sigo adverso
Pobre é quem por este verso caminha
e não vê o meu Amor tal qual Universo.

— Alex Bandeira

Advertisements
This entry was posted in poesias. Bookmark the permalink.

2 Responses to pobre verso

  1. Fernanda says:

    Minha Vida, meu tesouro, meu Amor
    Meu menino, meu marido, meu amigo
    Amo o verde-ouro do teu olhar
    Amo teu colo, onde fiz meu Lar

    Amo o som da tua risada
    Amo o entrelaçar de nossas mãos
    Amo o nosso silêncio
    Amo nossas conversas ate tarde da noite

    cada dia mais e mais ….

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

w

Connecting to %s