reboot diário (não meu)

Desde o meio do segundo semestre do ano passado que estou com uma plaquinha PCMCIA usando o Vivo Zap. Não vale tanto a pena quanto a propaganda que fazem dele, o máximo que já consegui, na casa do meu irmão, em Sampa, de madrugada, foi pouco mais de 100Kbytes/s, ou 800 kbps. O normal gira em torno de 30-40 Kbytes/s, ou 240-320 kbps.

Peguei umas receitas de bolo na internet, algumas indicadas por amigos (valeu, Felpa!!), e acabei montando a minha própria receita de bolo (um to-do que eu tenho é montar um pacote .deb disso e disponibilizar, mas não tenho previsão disso), no Linux, claro.

Duas coisas engraçadas sobre o serviço da Vivo:

  • Na conta, eles mandam páginas e páginas com as “supostas” conexões que eu fiz. Acho que é um item para cada conexão TCP/IP que eu abro, porque a lista é realmente infinita, e tem sequências de “conexões” consecutivas, com pouca ou nenhuma diferença de horário. Muito besta, fora o desperdício de papel.
  • Todo dia, por volta das 23:15, a conexão cai. O script que montei, ao perder a conexão, tenta novamente logo em seguida, então eu não fico muito tempo sem rede. Todo dia.
Esse post foi publicado em celular, conectividade, linux, vivozap. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s